• Jornal LexPrime

3 dicas para a proteção de produtos digitais

Além da criação e gestão de um negócio online, o empreendedor também deve se atentar para não infringir ou ter seus direitos infringidos

A internet mudou a forma de consumo e de se fazer negócio. Os infoprodutores, além de pensarem em seus conteúdos e na administração das suas vendas, também devem levar em consideração melhores práticas para evitar que caiam em fraudes, como plágios e até mesmo pirataria. Para auxiliar esse novo perfil de empreendedor, Nilson Filatieri, CEO da HeroSpark, solução para empreendedores digitais, listou três dicas que devem ser levadas em consideração. Confira:

Plágio e Pirataria “Ao proteger seus materiais, o infoprodutor preserva o diferencial estratégico do seu negócio: a autenticidade e exclusividade do seu conhecimento”, comenta o CEO. Para se resguardar, Nilson aconselha que os infoprodutores criem logomarcas próprias e as coloquem em seus conteúdos. Além de ajudar a evitar plágios, tal recurso visual também contribui para a consolidação do negócio virtual, já que agrega e transmite credibilidade ao consumidor.

Entretanto, caso o empreendedor encontre o seu infoproduto sendo comercializado de forma indevida, ainda há o que fazer. De acordo com Nilson, o infoprodutor pode contatar o site no qual o material está hospedado, explicar a situação e solicitar que o anúncio e conteúdo sejam removidos. Além disso, também é possível entrar com medidas legais como um processo penal.

Direito de imagem Seja para a criação do infoproduto ou para alimentar as mídias, imagens são essenciais, porém o infoprodutor precisa se atentar aos direitos das fotos. Para evitar processos e até indenizações, é importante que o empreendedor busque referenciar os créditos da imagem usada. Um opção é recorrer para o uso de bancos de imagens ao invés de pesquisas no Google, já que em tais plataformas é possível encontrar registros de qualidade, que em alguns casos, têm direitos autorais livres.

Política de conteúdo de plataformas EAD As soluções para produtos digitais oferecem suporte para que os empreendedores consigam gerir seus negócios com praticidade. Porém, apesar de serem focadas em auxiliar os infoprodutores, algumas plataformas vêm sendo pressionadas por conta do conteúdo hospedado. “Os limites da plataforma devem se restringir nesse ponto de infraestrutura e não devem bloquear infoprodutos por conta de temas políticos ou ideológicos, afinal os donos dos materiais são empreendedores digitais”, comenta Nilson.

Sobre a HeroSpark A HeroSpark é uma solução para empreendedores digitais que utiliza o talento de seus clientes como matéria-prima para construir um business online. A empresa nasceu da fusão entre Edools e EADBOX, startups que até então eram referência na área de edtech – e concorrentes. Elencada entre uma das 10 melhores startups do Paraná, a HeroSpark já conta com mais de 1600 clientes.

0 visualização0 comentário