• Jornal LexPrime

A importância do mercado imobiliário para o Brasil

Setor nunca foi tão relevante como agora em toda a história do país

Todos os setores produtivos são importantes, pois à medida em que crescem, contribuem para o desenvolvimento do país com impactos no PIB, geração de emprego, pagamentos de impostos e fomento ao mercado consumidor. No entanto, o setor da construção civil e o mercado imobiliário possuem importância ímpar pelos diversos motivos que elencamos a seguir.

O Brasil é sabidamente um país com baixa qualificação da mão de obra e as ações governamentais de fomento à educação no passado e no presente têm impacto pífio na evolução dessa qualificação (basta comparar os rankings de educação brasileira e mundial). Um país com essa característica está sempre correndo atrás de soluções que visam aumento de distribuição de renda de forma a impulsionar o mercado consumidor e reduzir desigualdades. É verdade que existem programas assistencialistas, mas estes são apenas paliativos.

De maneira empírica e científica, consegue-se pontuar que o setor da construção é o que mais consegue empregar trabalhadores com pouca instrução em grande quantidade. Essa mão de obra, uma vez que venha a ter algum crescimento no grau de formalização, tem o seu salário – de base da pirâmide – aumentado simultaneamente, melhorando a distribuição de renda e, com isso, reduzindo desigualdades sociais. Ainda, promove o aumento do padrão de consumo.

Desta forma, é criado um círculo virtuoso de dinamismo do mercado interno e do mercado de trabalho. Com mais empregados e maior formalização, mais recursos são arrecadados pelo governo e mais crédito pode ser disponibilizado para fomento do consumo. Também, com maior arrecadação, maiores são as possibilidades de investimento público nos diferentes setores produtivos.

Sabe-se que o investimento público fomenta o investimento privado, na forma de efeito multiplicador, uma vez que dinamiza o mercado interno e recupera as expectativas das empresas sobre a demanda futura. A cada 1 real de investimento público na economia, gera-se 1,4 real de aumento do PIB. A título de comparação, a redução de 1 real na carga tributária leva ao aumento de 0,28 reais do PIB.

Sendo assim, o setor da construção é o que melhor consegue tocar os pilares econômicos de distribuição de renda, acesso a crédito e investimento público.

Por consequência – direta e indireta – dentro deste círculo virtuoso, os principais indicadores econômicos refletem o desenvolvimento da economia de diferentes formas: valor do salário mínimo, volume de investimentos federais, consumo das famílias, investimentos totais, inflação e PIB.

Por todo o exposto, a Smartus acredita no poder da transformação do país por meio do avanço dos mercados imobiliário e de construção civil.

Fonte: Smartus 

Leia mais:

  1. TJ confirma indenização para mulher apontada como funcionária fantasma de prefeitura

  2. TJ, após devido processo, demite servidora por desvio de valores de ações judiciais

  3. Impulsionado pelo segmento imobiliário, PIB da construção cresce 1,3%

  4. Empresas e fundos miram o mercado de créditos judiciais

#leiaja #noticiadodia

0 visualização0 comentário