• Josivânia R. Cavalcante de Paula

A transformação digital proposta pelas Lawtechs no setor jurídico brasileiro

Sabe-se que a tecnologia veio para transformar a sociedade e impor novas adequações a fim de modernizar, oferecer agilidade e precisão aos serviços prestados, trazendo benefícios para todas as partes interessadas.

Diferente não seria no setor jurídico e, por essa razão, foram criadas as chamadas Lawtechs, startups que visam identificar as deficiências, otimizar a rotina e solucionar os principais problemas enfrentados pelos operadores do direito no universo jurídico.

Sabemos que o uso de soluções tecnológicas estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia, visto que estamos sempre em busca de tecnologias inteligentes, móveis e práticas, que possibilitem aumentar a produtividade e aprimorar o serviço prestado perante a sociedade que, em contrapartida, resultará na lucratividade da empresa.

Assim como a digitalização dos processos jurídicos veio para agregar e acelerar os trâmites processuais, certo é que as Lawtechs também possuem o mesmo propósito, tendo em vista que auxiliam na gestão dos escritórios, permitem o controle de prazos e intimações dos processos, a consulta de informações públicas, a comunicação facilitada entre os colaboradores da empresa além de oferecer proteção legal aos dados.

Nesse cenário, as Lawtechs buscam trazer ao setor jurídico uma considerável redução de custos, aumento da produtividade além de coletar e monitorar informações, através de pesquisas jurídicas, possibilitar o acesso à justiça bem como melhorar o atendimento ao cliente, tudo isso com transparência e a segurança necessária através da adoção de uma plataforma de cibersegurança atualizada. Ora, tendo em vista as adequações impostas pela Lei Geral de Proteção de Dados “LGPD”, verifica-se a necessidade de ofertar uma plataforma revestida de segurança digital com relação aos dados sigilosos fornecidos por terceiros.

Ademais, as lawtechs possuem como principal característica a otimização do tempo dos operadores do direito, haja vista que possibilita a automatização do encaminhamento de informações entre setores da empresa, possibilita o agendamento de compromissos e reuniões bem como oferece o controle de processos e atualização em tempo real.

Assim, advogados e demais profissionais jurídicos podem se utilizar das lawtechs para atividades repetitivas e que podem facilmente serem feitas através de recursos tecnológicos enquanto direcionam tempo e foco para atividades de cunho intelectual e estratégico para o bom andamento do processo.

E, em que pese as Lawtechs possam ofertar diversas vantagens ao seguimento jurídico brasileiro, é necessário que haja investimento em capacitação e qualificação dos funcionários, preparando-os para lidar com a mudança trazida pela adoção da plataforma e permitir uma rápida adaptação, tudo isso em prol de propiciar uma melhora significativa nas atividades realizadas pela equipe.

Portanto, diante do contexto, a utilização das Lawtechs tem a oferecer grandes vantagens ao setor jurídico, sendo ele público ou privado, corporativo ou não, haja vista que transformarão o mundo jurídico brasileiro, oportunizando tempo para resolução de conflitos mais desafiadores e existentes no dia a dia dos departamentos jurídicos.


Leia também: Procon-SP envia ofício à ANAC sobre a suspensão das atividades da Itapemirim



1 visualização0 comentário