• Jornal LexPrime

ActiveNav inicia atuação no Brasil por meio de rede de parceiros para atender demanda da LGPD

Empresa é fornecedora global de software para a governança e privacidade de dados. Os parceiros são: Afrika Tecnologia, Apura Cybersecurity Intelligence, Infodrive Tecnologia, IT4US, Microhard, ProAdvanced e Securitybox.

A ActiveNav anunciou os parceiros no Brasil responsáveis pela oferta da sua linha de produtos de governança e proteção de dados para as empresas que necessitam atender às novas regras de proteção de dados pessoais, a LGPD.

Os parceiros Afrika Tecnologia (São Paulo), Apura Cybersecurity Intelligence (São Paulo), Infodrive Tecnologia (Brasília), IT4US (São Paulo), Microhard (Belo Horizonte), Pro Advanced (São Paulo) e Securitybox (Curitiba), oferecem serviços de implementação, capacitação e suporte aos produtos, que chegam ao país com larga experiência na adequação a regras internacionais, como a GDPR ( a lei europeia de proteção de dados) e o Regulamento Cibernético de Nova York (23 NYCRR Part 500 New York Department of Financial Services), além do California Consumer Privacy Act (CCPA), uma lei estadual de privacidade de dados que regula como as empresas de todo o mundo devem lidar com as informações pessoais dos residentes da Califórnia.

ActiveNav é membro-fundador do Information Governance Initiative, um grupo de pesquisa interdisciplinar e uma comunidade dedicada ao avanço da governança da informação e as suas soluções oferecem um amplo conjunto de funcionalidades para a descoberta de dados desestruturados existentes em todos o ambiente corporativo e que necessitam ser localizados, classificados para guarda adequada ou excluídos, segundo os mais novos padrões regulatórios, como a GDPR e LGPD. Fazem parte do seu portfólio o ACTIVE-Inventory (produtos em nuvem e como serviço para inventário, descoberta, mapeamento e agrupamento de dados), ACTIVE-Compliance (identifica quais dados devem ser coletados, armazenados e gerenciados) e ACTIVE-Governance (monitoramento proativo da qualidade e a governança dos dados). Estes últimos são destinados a migrações e classificações de dados.

“A adequação às novas regras exige que os dados sensíveis sejam corretamente identificados e classificados para que se possa definir o que deve ser feito com eles: guardar com segurança ou excluí-los”, comenta JC Cerutti, diretor da ActiveNav para América Latina. “A LGPD determina que as empresas protejam as informações pessoais de seus clientes internos (seus colaboradores) e externos, e isso coloca sobre elas uma grande e desafiadora responsabilidade, uma vez que os dados pertencem aos clientes e estes, por sua vez, querem se eles estejam muito seguros onde eles estejam”, afirma o executivo.

Segundo Cerutti, as novas obrigações irão ajudar as organizações a melhorarem seus processos de manuseio de dados. Antes LGPD e GDPR, segundo sua avaliação, as empresas possuíam um histórico muito ruim diante da governança da informação e agora podem confiar apenas em uma análise conceitual dos dados e com a intuição de suas equipes na abordagem da governança de dados. “Diante das pesadas multas previstas, será muito mais adequado se resguardar da intervenção da agência regulatória. Proteger os dados dos clientes e, agora, projetar o seu próprio negócio”, sentencia o executivo.

A LGPD tem sido considerada o “fiel da balança” para a confiança dos clientes, que será definitiva para os negócios digitais, segundo avalia JC Cerutti. “As empresas devem ter processos, ferramentas e pessoal treinado para cumprir com seu programa de privacidade. A ActiveNav ajuda a proporcionar as ferramentas que trabalham com as equipes e os processos para mitigar os riscos que possam ter um programa de privacidade mal implementado”, finaliza.

Mais informações: www.activenav.com

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo