• Jornal LexPrime

ANPD se prepara para começar a sancionar empresas que não se adequaram à LGPD



As sanções administrativas pela Lei Geral de Proteção de Dados só serão aplicadas após parecer do Regulamento de Fiscalização


Apesar de estar em vigor desde setembro do ano passado, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), tema central de diversas discussões e debates nos últimos meses, começa a aplicar advertências e multas neste mês agosto. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) aguarda a aprovação do Regulamento de Fiscalização e Aplicação de Sanções, prevista para as próximas semanas, para a imposição de sanções administrativas em torno das novas normas.


Enquanto espera pelo parecer, a ANPD ainda discute metodologias para o cálculo das multas administrativas, bem como a possibilidade de parcerias com entidades públicas para a fiscalização da LGPD. "A ANPD já possui acordos de cooperação técnica firmados com a Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON), NIC.br e com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), que permitem o desenvolvimento de ações conjuntas", afirma Thamilla Talarico, sócia de Daniel Advogados.


Ao todo, poderão ser aplicadas quatro tipos de sanções: advertências; divulgação de infrações; bloqueio, suspensão, exclusão e proibição do tratamento de dados pessoais; e multas de até 2% do faturamento anual do grupo econômico em questão no Brasil, com um total máximo de R$ 50 milhões por infração.


Para evitar que as empresas desrespeitem os novos regulamentos de proteção de dados, a ANPD já está emitindo orientações específicos sobre a LGPD. "A ANPD já emitiu um Guia Orientativo sobre agentes de tratamento (Controlador e Operador) e do Encarregado pela proteção de dados pessoais", diz Thamilla. "Como a LGPD é fortemente inspirada na legislação europeia (GDPR), espera-se que mais diretrizes semelhantes em objeto e conteúdo sejam anunciadas nos próximos semestres".


Sobre a Daniel Advogados       

Ao longo de 60 anos, a Daniel Advogados mantém o compromisso de proteger e gerenciar a Propriedade Intelectual e outros bens imateriais que concedem às empresas sua vantagem competitiva. Com entendimento do complexo mercado brasileiro, a Daniel Advogados combina conhecimento técnico, jurídico e de negócios para fornecer serviços e assessoria personalizada e proativa para ações nas áreas de patentes e marcas, de acordo com os objetivos de cada cliente.     


Presente no Rio de Janeiro e em São Paulo, a Daniel Advogados, que tem inovação como parte de seu DNA, reúne um time com mais de 200 colaboradores e diferentes expertises, bem como a forte rede de parceiros na América Latina. O escritório se destaca no gerenciamento de casos e portfólios complexos, com uma abordagem multidisciplinar e integrada. A Daniel é o maior escritório de sociedade majoritária e liderança feminina na América Latina. Reconhecido pela WEConnect International e certificado como Women-Owned Business, garantia que a firma atende aos padrões universais da WBE -Women’s Business Enterprises.       


A Daniel Advogados atua nos setores de Contencioso, manejando ferramentas legais para fazer valer os direitos de seus clientes; Licenciamento e Transações Comerciais, ultrapassando o mercado de Propriedade Intelectual, abarcando o direito empresarial, com especialidades em contratos de transferências de tecnologia e licenciamento, proteção de programas de computador, entre outras; Criminal, no combate à pirataria em ações que incluem medidas de fronteira, monitoramento de infrações etc; e Direito Digital, Privacidade e Proteção de Dados, oferecendo serviços formatados para o ambiente digital, como consultoria em direito à privacidade e proteção de dados, registro e licenciamento de software, entre outros.       



0 visualização0 comentário