• Jornal LexPrime

ASSESSORIA JURÍDICA NAS RELAÇÕES DE CONSUMO E O IMPACTO NA REPUTAÇÃO DIGITAL DAS EMPRESAS

Atualizado: Ago 23


Embora os inúmeros reflexos negativos da pandemia, o Brasil registrou recorde na abertura de novas empresas refletindo em 2,3 milhões de novos negócios.

Neste cenário, a grande massa dos empreendedores aposta na utilização de canais digitais como ferramenta para comercialização on-line de produtos e/ou serviços. A oportunidade foi acionada através da utilização de marketing digital.

Apesar dos investimentos no marketing digital cujo a intenção é personalizar e facilitar a comunicação entre as empresas e os consumidores, não foi, por grande parte dos novos empresários a necessidade de cautela e preparo no tocante as regras do Direito do Consumidor, o que repercutiu no aumento de ações no judiciário.

A internet, apesar de ser uma enorme aliada ao conhecimento tanto por parte das empresas como por parte dos consumidores acaba por apresentar informações conflitantes e, algumas vezes até contrária a própria lei dificultando a resolução de problema entre as partes.

A pesquisa realizada pelo Procon/SP apontou o aumento de 285% das reclamações contra compras online no último ano, registrando a origem desse aumento na falta de conhecimento e despreparo por parte das empresas na adoção das regras do Código de Defesa do Consumidor.

E é por isto que a assessoria jurídica integrada tanto na parte empresarial como as relações de consumo é capaz de auxiliar os novos empreendedores a estabelecerem relações seguras com os consumidores e diminuindo o risco de litígio judicial.

Infelizmente ainda existe no nosso judiciário, uma banalização do dano moral, de forma que uma falha na prestação de serviços, não rara às vezes acaba resultando em indenizações altíssimas.

Neste ponto, as empresas que investiram na assessoria jurídica conseguiram se sobressair àquelas que apostaram apenas no marketing, pois conseguiram com a ajuda de especialistas em direto do consumidor não só se adequar as regras previstas no Código de Consumidor como encontrar saídas estratégicas pautada em lei para resolução dos conflitos existentes.

Embora a Lei seja protetiva aos Consumidores, isso não significa dizer que o Consumidor pode tudo e, sim há necessidade de aplicar suas disposições para cada tipo de problema enfrentado.

A título de exemplo, um dos setores fortemente atingido pelas demandas judiciais é o setor moveleiro, pois a escassez de matéria prima para fabricação de produtos acarretou inúmeros atraso na entrega dos produtos refletindo no ajuizamento por parte dos consumidores, entretanto, as empresas que possuíam seja um contrato bem elaborado por expert, como um apoio jurídico conseguiram eliminar praticamente 60% (sessenta por cento) das reclamações tanto administrativamente como judicialmente e apresentaram 30% de melhora na usa reputação digital.

Assim, resta notório a necessidade de investimento em uma assessoria de qualidade a fim de adoção de políticas para redução de ações judiciais refletindo no aumento da reputação digital.




PAULA FOGLI éautora da coluna “Direito do Consumidorwww.bpadvogados.com.br, advogada sócia do Battaglia & Pedrosa Advogados atua na área de Direito do Consumidor com enfoque em assessoria jurídica para reputação digital de empresas.




E-mail; paula@bpadvogados.com.br




0 visualização0 comentário