• Jornal LexPrime

Carreiras jurídicas têm seguro de vida sem restrições de idade

Parceria do IPAM com corretora de seguros também aceita portadores de doenças preexistentes

O Instituto Paulista de Magistrados (IPAM) mantém desde 2018 uma parceria no mercado de seguros de vida extremamente vantajoso para os profissionais das carreiras jurídicas e o benefício se mostra ainda mais atraente em tempos de pandemia, em que os critérios para contratação de um seguro de vida se tornam especialmente exigentes. O contrato de benefícios mantido pelo IPAM com a CRD Corretora de Seguros, empresa tradicional no mercado de seguros, oferece a todos aos associados do IPAM de todas as carreiras jurídicas um seguro de vida diferenciado, que contempla pessoas acima de 65 anos e ainda aceita portadores de doenças preexistentes.

“A CRD já fornecia seguro de vida para a Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), e como a empresa está presente em 60% das associações de magistrados do país, o IPAM firmou parceria para estender o beneficio para os seus associados”, afirma a presidente do IPAM, juíza Tânia Mara Ahualli. “O plano de seguro de vida que a empresa contratada nos oferece, além de aceitar portadores de doenças pré-existentes em qualquer grau, algo raro no mercado em geral, ainda oferece um contrato de até R﹩ 400 mil para pessoas acima de 65 anos, além de Seguro de assistência funeral e cobertura por invalidez permanente total ou parcial por acidente”, detalha a presidente do IPAM.

Outra vantagem do seguro de vida é para pessoas de 66 a 80 anos que podem fazer uma Declaração Pessoal de Saúde. “Se pessoas nessa faixa etária não apresentarem doenças preexistentes, o seguro de vida tem vigência automática”, diz a juíza. Segundo a presidente do IPAM, “principalmente nessa crise sanitária que estamos passando o seguro é um investimento financeiro, e um diferencial importantíssimo dos planos da parceria com a CRD é que todos os juízes e magistrados associados, com idades até 80 anos, podem ter a apólice sem prejuízo de cobertura. Temos de lembrar que quem faz um seguro hoje pensa em deixar um dinheiro guardado para ajudar no estudo dos filhos, para complementar a aposentadoria do cônjuge e, o mais importante, até para situações financeiras difíceis sem ninguém precisar perder um ente querido”, destaca.

O seguro de vida é pago mensalmente e deve ser acionado assim que a pessoa falecer e, em cinco dias úteis, com toda a documentação em ordem, é liberado na conta do beneficiado. A comercialização disponibilizada na apólice de seguro para todos os associados do IPAM parte de indenizações de R﹩ 20 mil e vai até R﹩ 2,4 milhões por morte natural e acidental.

Segundo o presidente da CRD Seguros, Luís Fernando Coelho Rodrigues, “a principal intenção para comprar um seguro de vida, até para o nicho de juízes que tem garantia vitalícia de renda, é pensando no recomeço da família sem o precursor. O seguro é para a reorganização da família pós-morte de pai ou de mãe, quitação de um compromisso não efetuado e até pela questão de que a pensão da viúva (o) leva 120 dias para ser liberada e com o seguro de vida há essa estabilidade financeira inicial proporcionada, e sem burocracias”, confirma.

A CRD Seguros ainda oferece o Seguro RC Advogado, uma modalidade de seguro específica para advogados, no setor de responsabilidade civil. “Um advogado pega uma causa e tem um contrato com o cliente. O advogado perde o prazo para protocolar uma petição ou recurso e, por conta disso, perde a causa e tem de pagar as custas. O cliente aciona o advogado judicialmente e ele tem uma apólice de seguro para ajudá-lo a pagar essa conta”, finaliza Luís Fernando.

Sobre o Instituto Paulista de Magistrados (IPAM) – É uma associação civil de cunho científico e cultural, sem finalidade lucrativa, idealizada para valorizar o Poder Judiciário e a Magistratura. Foi fundado em 8 dezembro de 1999, por 21 juízes de primeiro grau, com o objetivo de defender as prerrogativas e a dignidade dos magistrados e propor demandas coletivas na defesa desses interesses. Está sediado na cidade de São Paulo e conta atualmente com 1.278 (atualizar?) associados, entre membros titulares, colaboradores e honorários. Desenvolve estudos dos direitos internos e internacionais; promove pesquisas, incentiva projetos sociais e edita livros e revistas que favoreçam a divulgação da ciência jurídica e da cultura em geral. Mantém uma biblioteca com material específico relacionado ao Poder Judiciário; realiza eventos e debates sobre temas relacionados à magistratura e projetos em parceria com outras instituições visando fortalecer a sociedade e esclarecer informações sobre a posição e as atribuições dos profissionais do Judiciário, além de promover cursos de capacitação e aperfeiçoamento profissional. Atualmente o IPAM é presidido pela juíza, Drª Tania Mara Ahuali.

0 visualização0 comentário